Estudar: organização e disciplina
  1. Estudar exige ‘Disciplina’ e ‘Organização’.
  2. A palavra ‘Disciplina’ pode ser desdobrada de diversas formas. A análise que interessa neste texto, porém, é a análise da ‘disciplina como consistência’, ou seja, como a capacidade de repetir o ato de execução (estudar) até que o objetivo final seja alcançado.
  3. A palavra ‘Organização’ também pode ser objeto de várias análises. Podemos simplificar, aqui, para: ‘estruturação da disciplina’ ou, de forma um pouco mais detalhada, como ‘estruturação da repetição do ato de estudar’ (planejamento).
  4. Disciplina sem organização é dispersão de energia. É esforço sem resultado. Organização sem disciplina, por sua vez, é abstração sem concretude. Planejamento sem ação.
  5. A relação entre ‘Disciplina’ e ‘Organização’ (ou planejamento) é circular, bilateral, adaptável e passível de aprimoramento (subjetivo e objetivo). A interação é circular e bilateral porque não há linearidade ou relação de causa e efeito direta e em sentido único (ou seja: da disciplina para a organização ou da organização para a disciplina). É necessário ter disciplina para se organizar e se organizar para ter disciplina. Essa relação é adaptável, porque, conforme as contingências da vida, você pode ajustar a disciplina ao planejamento e o planejamento à execução. Por fim, disciplina e organização são passíveis de aprimoramento. A prática aumenta o conhecimento sobre o assunto e a aptidão para aplicá-lo, de forma adaptada e ajustada, à própria realidade.
  6. A disciplina e a organização, no ‘aspecto interno’, remetem a questões subjetivas, tais como: ‘sentido’, ‘propósito’ e ‘objetivo’. A disciplina (enquanto consistência e repetição) e a organização (como estruturação e planejamento) não representam um fim em si mesmo, mas um meio para realizar algo. Delas derivam ações para alcançar um resultado (objetivo). A busca por este resultado (objetivo) é que justifica as atitudes adotadas no dia a dia. Portanto, o sentido, o propósito e os objetivos devem motivar as ações e sustentar a caminhada.
  7. Por outro lado, disciplina e organização, no aspecto externo, ou seja, como “fatores externos” de preparação, estão relacionadas às melhores estratégias e técnicas de execução (como estudar).
  8. Você precisa trabalhar os fatores “internos” e “externos”. A ‘literatura’ mais atualizada demonstra a importância e a relação entre ambos. Pensamentos e emoções negativos podem implodir a organização e disciplina. Erros de planejamento ou de execução afetam resultados e, consequentemente, podem abalar crenças e objetivos sólidos. Em resumo: uma coisa pode levar a outra e ambas podem levar ao fracasso. Nem sempre é fácil identificar onde começa o vazamento, embora a goteira seja visível. Além disso, é preciso identificar a dor e o remédio (nem sempre quem identifica a dor sabe ministrar o remédio e nem sempre quem conhece o remédio sabe identificar a dor).
  9. Ambos os aspectos (internos e externos) podem ser trabalhados e aprimorados. O ideal é que sejam tratados de forma integrada e conjunta. Agir fortalece a execução e aumenta a disciplina. A execução melhora os resultados. Os resultados fortalecem a convicção. A convicção aproxima do objetivo.
  10.  Quando começar? Agora. Como? Com organização e disciplina. De que forma? Acreditando que é possível e esperando o melhor, sempre (desde que mantida a aderência à realidade).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


error: Conteúdo protegido contra cópias